5 Dicas Evitar Contágio na Escola

5 Dicas Evitar Contágio na Escola

O regresso às aulas em tempos de Pandemia abraçam um sem número de emoções, quase sempre negativas. A pergunta do momento prende-se fundamentalmente em: Como Evitar Contágio na Escola?

Será mesmo possível?

Abrir as Escolas não será condenar todas as crianças ao Vírus?

A Sociedade Portuguesa de Pediatria, juntamente com a Sociedade de Infeciologia Pediátrica e o Colégio da Especialidade de Pediatria da Ordem dos médicos, redigiu um documento que reforça a necessidade do retorno às aulas presenciais, ou seja, as aulas têm de começar.

É um artigo de leitura obrigatória e pode ser consultado aqui.

Citamos uma frase do documento, frase que temos vindo a reforçar nas nossas formações, em Especial no Curso Estratégias para minimizar o Risco de Contágio em Instituições Escolares:

“Assim, para proteção de todos, o mais importante continua a ser o comportamento responsável dos adultos”

5 Dicas Evitar Contágio na Escola:

1- Uso de Máscara por todos os profissionais docentes e não docentes:

Esta surge como sendo uma recomendação óbvia, mas nem sempre é cumprida à risca, principalmente pelos profissionais não docentes.

Continuamos a valorizar o risco de contágio pelas crianças, e esquecemo-nos que o risco também está nos colegas de trabalho.

Assim o pessoal administrativo, os funcionários de limpeza, os funcionários da cozinha devem obrigatoriamente utilizar a máscara dentro da instituição.

2 – A desinfecção das mãos deve começar logo à entrada da instituição:

Que a lavagem das mãos é essencial, todos nós sabemos. O que poderemos não saber é que ninguém deveria entrar na instituição escolar sem desinfectar as mãos à entrada. É o primeiro momento e um dos mais importantes.

3 – Garantir o devido distanciamento entre os Profissionais da instituição:

Quando as medidas recomendadas pela a DGS falavam em manter o distânciamento entre as crianças, foram muitos os comentários de crítica, na medida em que parece uma medida de difícil execução.

Pois bem, o que não é de difícil execução é garantir o distanciamento entre os adultos, principalmente nos momentos de pausa e refeições.

Volto a citar a SPP “Assim, para proteção de todos, o mais importante continua a ser o comportamento responsável dos adultos”

4 – Colocar desinfectante acessível juntos dos pontos de contacto obrigatórios.

Este é uma dica muito preciosa no que concerne à diminuição do risco de contágio.

A contaminação indirecta acontece pelo contacto com superficies e objectos contaminados, sendo que: os puxadores de porta, interruptores de luz, maquina de café, teclado e ratos de computador, merecem um olhar mais apertado.

Uma boa medida, consiste em colocar o desinfectante junto dessas zonas de contacto, para que todos os profissionais possam desinfectar as mãos sempre antes e depois do contacto.

5 – Garantir as recomendações da DGS fora da instituição, evitando comportamentos de risco.

Evitar contágio na escola é uma premissa que não está confinada às “4 paredes da instituição”.

Evitar o contágio na Escola, começa precisamente fora da Escola.

Como?

Evitando comportamentos de risco que possam levar ao contágio pessoal e posteriormente ao contágio dentro da própria instituição.

De pouco pode valer ser 100% cumpridor das orientações dentro da instituição, se no exterior os comportamentos são de risco elevado.

Fica um slogan para recordar:

“Vá para fora (da instituição), pensando no que está lá dentro”

Caso pretenda aprender mais sobre o assunto pesquise o nosso Curso Estratégias para minimizar o Risco de Contágio em Instituições Escolares

Escola Pediatria

Crescemos Juntos

newsletter
Partilhar

Adicionar Comentário

O seu email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *